Pantanal em quatro dias!

FlytourDicas

Pantanal em quatro dias!


Escrito por: Flytour
Mais posts de Dicas

Compartilhe



Sobre o Pantanal já foram feitos filmes, novelas e livros. A quantidade de fotografias e programas do Globo Repórter beiram o infinito, mas nada, nada mesmo, se aproxima de estar, ao vivo, em carne, osso e máquina fotográfica em um dos lugares mais incríveis e ricos do planeta.

A seguir, vamos passar quatro dias neste ambiente único com mais de 250 mil quilômetros quadrados de extensão e que avança por três países diferentes.




Preparação

Existem algumas rotas para se chegar ao Pantanal. Confira com sua agência o melhor caminho:

• Pantanal Norte: por Cuiabá (MT) se chega mais fácil às cidades de Barão de Melgaço, Cáceres e Poconé. Aqui, a água sobe em fevereiro ou março e leva pouco mais de um mês para baixar. Já no sul…
• Pantanal Sul: os aeroportos de Corumbá e Campo Grande são as portas de entrada para as cidades de Aquidauana, Corumbá, Miranda e Porto Murtinho. O avanço da água por aqui só chega depois de maio, por isso, se você quer ter mais mobilidade, venha nos primeiros meses do segundo semestre.

Decidido para que lado você vai, hora de escolher o tipo de viagem. Em geral, as hospedagens no Pantanal funcionam em três modelos:

• Pesca! Se você gosta deste esporte de persistência e paciência, este é o lugar perfeito para você. Sem frescuras, esses hotéis tendem a ser mais baratos e podem incluir saídas de barco nos preços.
• No barco! Para os roots de plantão, esta é uma ótima pedida para aqueles que querem dormir e fazer as refeições sobre as águas.
• Luxo! Os mais procurados por viajantes: os hotéis especializados em ecoturismo. Neles, refeições e passeios podem estar inclusos nas tarifas.

Tudo resolvido? Então separe roupas que cubram o corpo e sejam leves ao mesmo tempo (olha os mosquitos!). Arme-se com uns quantos repelentes contra insetos e prepare com carinho a sua câmera fotográfica de estimação. Na boa, é só disso que você vai precisar aqui.




Primeiro dia

Aproveite o primeiro dia de Pantanal para explorar as redondezas do hotel e conhecer um pouco mais sobre as opções de passeios. Com alguma sorte, você vai dar de cara com animais e cenários dignos do lugar.

Com a chegada da primeira noite, busque um passeio de barco pelo rio. Uma ótima oportunidade para encontrar animais de hábitos noturnos e acompanhar o show de cores com a chegada da escuridão. Jacarés, macacos, capivaras surgiram aqui e ali descobertas pela lanterna do guia.

Dica: não esqueça do repelente e de usar roupas que cobrem o máximo do corpo!




Segundo dia

Tire este dia para continuar a explorar os rios. Entre em um barco e, agora, deixe os animais com hábitos diurnos fazerem a festa! Aves, peixes, mamíferos, ali, livres, bem na sua frente. Não esqueça da câmera fotográfica (se tiver uma lente objetiva, melhor ainda) e de colocar um traje de banho por baixo da roupa. Normalmente, este passeio termina com um mergulho para refrescar.




Terceiro dia

Chega de rio (por enquanto). Se prepare para fazer uma trilha e explorar os caminhos de terra do Pantanal. Mais uma vez, os cenários são inesquecíveis. E os animais… Com sorte e com o radar do guia, você poderá ver veados, jacarés, dezenas de espécies de aves, como araras, tucanos e gaviões e, com alguma sorte, uma bela cobra (distante e dormindo). Ah! Não se preocupe com as onças, elas só aparecerem no entardecer.

Dependendo da duração deste passeio, ainda dará tempo para fazer um outro, agora sobre um cavalo. É uma aventura dupla: aproveitar o cenário e se equilibrar sobre os animais. Vale bastante à pena, principalmente se você se deparar com uma boiada (daquelas das novelas).




Quarto dia

Que tal relaxar neste último dia? Então, equipe-se e entre na competição com as piranhas para ver quem pega o maior peixe. Ok…não é tão fácil, mas vale pela experiência. A pesca embarcada também permite uma última olhada naquele visual que você só encontra no Pantanal. De quebra, ainda dá para ver uma ariranha pescando também.

Aí você pergunta: tudo bem. Vi os animais, a flora, tirei fotos, mas não vai falar nada sobre comida? Claro, só deixamos para o final!




Gastronomia pantaneira

Peixes, peixes e mais peixes. Mas não só peixes. O prato mais devorado pelos moradores é um conhecido dos gaúchos: o arroz carreteiro. Por mais que a carne não seja a mesma do sul do país. Outra opção sensacional é o caldo de piranha. Imagine algo bom…daquele tipo que você colocaria em uma garrafa para levar para casa. Então…

Se você gosta de massa e de carne de sol, uma boa pedida é o macarrão boiadeiro. Finalmente, prove o pintado, um peixe de rio super saboroso e a costela de Pacu, fritinha e à milanesa.



Gostou de ler este texto? Então imagina o quanto vai gostar de ir até lá! Se programe: o Pantanal te espera para ser descoberto mais uma vez.




Sobre o autor
Flytour

Flytour

Nós amamos viajar. E compartilhar nossas experiências. Tentamos sempre trazer dicas pessoais das nossas viagens para aproximar ainda mais nossos leitores dos destinos em que sonham conhecer.




E aí, deu vontade de visitar San Andrés?

Preencha seus dados abaixo e receba um orçamento 🙂



Leia mais